Pular para o conteúdo principal

Destaques

REVIEW: MULHER MARAVILHA 1984

Pôster do Filme Autor: Daniel Moreira   REVIEW: MULHER MARAVILHA 1984  Estamos vivendo uma revolução na forma de ver filmes, os serviços de streaming estão cada vez mais conquistando o seu espaço no dia-a-dia dos espectadores e a grande aposta do HBOMAX foi justamente a estreia de um dos maiores filmes do ano no serviço de streaming e nos cinemas ao mesmo tempo. Se isso vai ser o novo normal ou se vai trazer lucros só o tempo dirá, o fato é que Mulher Maravilha 1984 está entre nós. Atenção, essa review pode conter leves spoilers. Um artefato muito antigo criado por um Deus concede aquele que o possui o seu maior desejo, infelizmente vai parar em mãos erradas e a Mulher Maravilha precisa enfrentar o vilão e impedir o fim do mundo. Patty Jankins retorna na direção da sequência, dessa vez muito mais a vontade. Devido ao grande sucesso do primeiro filme, o estúdio deu carta branca pra ela criar a sua versão e isso é refletido nas poucas cenas de ação, nos diálogos profundos e na mensa

Uma volta experiencial pelo Romance de Camila Cabello

romance camila cabello


Autor: Luca Alves

Uma volta experiencial pelo Romance de Camila Cabello


Na luta pelo primeiro lutar na Billboard 200, Camila Cabello tem um desempenho minguado com o seu segundo álbum de estúdio por consequência das altas expectativas após o seu bem-sucedido álbum de estréia em carreira solo lançado em janeiro de 2018. Com o smash-hit Havana, para a sua estréia homônima, Camila Cabello se aproveitou das tendências latinas para construir uma forte identidade para o álbum que de quebra levou alguns feitos que infelizmente não se repetiram na sua segunda aposta solo. O Camila (2018) alcançou simultaneamente o topo da Billboard 200 e Billboard hot 100, vendeu cerca de dois milhões de exemplares ao redor do mundo e garantiu algumas indicações ao Grammy para a Camila, fazendo dela um destaque em relação as suas ex-colegas de trabalho da época do Fifth Harmony. 

O Romance, seu segundo álbum de estúdio, chega em 06 de dezembro de 2019 já com o status de fracasso pelo público após o baixo desempenho dos singles Liar, Shameless, Cry for Me, Easy e Living Proof, fazendo de Señorita, dueto com Shawn Mendes, uma esperança de melhoria do desempenho do álbum. Señorita alcançou topo de Billboard hot 100 em agosto de 2019 e ganhou uma indicação ao Gammy na categoria Melhor Performance Pop de Um Dueto ou Grupo, atraindo mais atenção ao status de fracasso, no entanto, agora para a tentativa de maquiá-lo ao incluir o single avulso, Señorita, na tracklist do Romance.

Em uma análise comparativa, não me parecem justas as menções de fracasso para a Camila Cabello, se levarmos em conta que de todos os estreantes nessa década em uma banda (girl/boyband), ela, de longe, tem tido o melhor desempenho comercial e crítico, abrindo reflexão para o que de fato acontece com o nome Camila Cabello na indústria fonográfica. Quero dizer, são três indicações ao Grammy, uma vitória no Grammy latino, três topos nas principais paradas da Billboard, um single certificado em diamante e todos os álbuns bem avaliados no Metacritic: não faz o menor sentido rotular como um fracasso quem tem tantos feitos em um curto intervalo de tempo em carreira solo - e o sentido se torna menor ainda se os feitos forem comparados com outros ex-integrantes de bandas como Harry Styles e Normani, que, com quase o mesmo tempo que Camila em carreira solo, eles ainda não tiveram o alcance que ela teve em todos os tópicos supracitados.

O Romance não tem uma identidade tão marcante quanto o Camila, mas é um álbum coeso dentro do que se propõe a ser. Os singles não tem uma apelo tão comercial quanto aos singles do primeiro álbum, mas todos tiveram desempenho bem acima do esperado para um ex-integrante de uma girl/boyband. A Camila não repetir os feitos do primeiro álbum é algo natural, e esperar estabilidade na carreira de qualquer artista é se contentar com a limitação artística que ele possa oferecer. As mudanças entre o primeiro e o segundo álbum é uma demonstração de amadurecimento pela necessidade de não se manter na mesmice, e as consequências disso aparecem das mais diversas formas, o que pode incluir baixa aceitabilidade do público e rotulação de fracasso pelo baixo desempenho comercial em relação ao seus materiais anteriores - o que não significa necessariamente que o material tenha sido um fracasso. É complexo, mas não muito.

No mais, o Romance é um álbum bem estruturado e segue uma linha estável ao longo das 14 faixas contidas nele. É uma volta experiencial pelo primeiro relacionamento sério da Camila Cabello, tornando mais perceptíveis alguns sentimentos em relação a outros criando maiores conexões por algumas faixas, como a cautela e a imprudência em concomitância em Shameless, a angustia e o rancor em Should've Said It, a prudência e a honestidade em First Man e a falta de necessidade em levar tão a sério o seu relacionamento em My Oh My. Uma jornada sinestésica para além de 14 faixas que poderá receber continuidade na medida que novas experiências surjam na vida da Camila, afinal, a cubana tem apenas 22 anos e esse é o seu primeiro romance.


Minhas Redes Sociais:

Comentários

Postagens mais visitadas