Pular para o conteúdo principal

Destaques

REVIEW: MULHER MARAVILHA 1984

Pôster do Filme Autor: Daniel Moreira   REVIEW: MULHER MARAVILHA 1984  Estamos vivendo uma revolução na forma de ver filmes, os serviços de streaming estão cada vez mais conquistando o seu espaço no dia-a-dia dos espectadores e a grande aposta do HBOMAX foi justamente a estreia de um dos maiores filmes do ano no serviço de streaming e nos cinemas ao mesmo tempo. Se isso vai ser o novo normal ou se vai trazer lucros só o tempo dirá, o fato é que Mulher Maravilha 1984 está entre nós. Atenção, essa review pode conter leves spoilers. Um artefato muito antigo criado por um Deus concede aquele que o possui o seu maior desejo, infelizmente vai parar em mãos erradas e a Mulher Maravilha precisa enfrentar o vilão e impedir o fim do mundo. Patty Jankins retorna na direção da sequência, dessa vez muito mais a vontade. Devido ao grande sucesso do primeiro filme, o estúdio deu carta branca pra ela criar a sua versão e isso é refletido nas poucas cenas de ação, nos diálogos profundos e na mensa

Forte concorrente ao Oscar, Dois Papas é uma produção necessária

dois papas



Autor: Luca Alves

Forte concorrente ao Oscar, Dois Papas é uma produção necessária


Após a renúncia do Papa Bento VI, em fevereiro de 2013, o ano foi marcado pela ocupação de dois papas no Vaticano – abdicação de cargo que gerou um evento inédito para Igreja Católica desde o ano de 1415 com o Papa Gregório XII. De direção de Fernando Meirelles, a produção original da Netflix recebe o nome Dois Papas por enfocar na aproximação de Bento VI com Francisco I entre o período da morte do João Paulo II até o momento que o Francisco I assume o posto de representante maior da Igreja Católica. O filme detalha os pormenores da vida de ambos os papas e os motivos pelos quais os papados de ambos poderiam se tornar um problema do tipo escândalo com perda maior do que a qual a Igreja vinha tendo em relação ao número de fiéis na época.

Com os altos investimentos da Netflix para a temporada de premiações, o filme foi estreado no Festival de Cinema de Telluride com números expressivos nas plataformas de crítica especializada Rotten Tomatoes (91% de aprovação) e Metacritic (83), podendo dar destaque tanto para as atuações de Jonathan Pryce e Anthony Hopkins quanto para a roteirização de Anthony McCarten, que garantiram indicações ao Globo de Ouro 2020, um pequeno esquenta para a campanha do Oscar deste ano. Além das indicações nas categorias Melhor Ator Em Filme de Drama, Melhor Ator Coadjuvante e Melhor Roteiro, Dois Papas de Fernando Meirelles também foi indicado à categoria Melhor Filme de Drama, dividindo indicação com nomes como História de Um Casamento de Noah Baumbach e O Irlandês do Martin Scorsese – também produções originais da Netflix.

Dois Papas é uma produção necessária no vasto sentido da palavra – ela é dissolvida e distribuída na quantidade ideal para quem a consome, ela provoca sensação de abastamento das informações permitindo que as conclusões sejam feitas pelo próprio espectador, ela abre mão de extravagâncias técnicas e tudo se desenvolve na mais pura naturalidade que insiste em se destacar como um lembrete de que o filme é uma obra inspirada no livro O Papa do roteirista Anthony McCarten e cria uma atmosfera documental no bojo da ficção pela atuação e montagem dos fatos, fazendo dele um forte concorrente na corrida pelo Oscar de Melhor Filme.

Minhas Redes Sociais:

Comentários

Postagens mais visitadas