Destaques

GRAMMY: POR QUE A LADY GAGA MERECE LEVAR O PRÊMIO DE ÁLBUM DO ANO?

lady gaga grammy 2020
Lady Gaga via Instagram

Autor: Luca Alves

GRAMMY: POR QUE A LADY GAGA MERECE LEVAR O PRÊMIO DE ÁLBUM DO ANO?


Há um ano debutava no topo da parada de discos da Billboard o A Star is Born com 231 mil cópias comercializadas no território americano. Pouco mais de um ano desde o seu lançamento, a trilha sonora do Nasce Uma Estrela soma mais de 6 milhões de cópias comercializadas ao redor do mundo e mantém uma estabilidade que talvez supere fácil a marca de 8 milhões de cópias vendidas até o dia da cerimônia do Grammy, que geralmente acontece entre o fim de janeiro e o início de fevereiro. 

Essa não é a primeira vez que a Lady Gaga recebe grande atenção para a principal categoria do Grammy. Quase todos os álbuns da Gaga foram indicados à categoria Álbum do Ano, e todos até o momento não foram bem-sucedidos para os votos da Academia. Em 2008, a Lady Gaga fez uma estréia estrondosa causando impactos notórios à cultura pop com o The Fame, mas só isso não foi o suficiente para a bancada honrar o álbum com o título de Álbum do Ano. o hit Poker Face, que também foi indicado às principais categorias de single como Canção do Ano e Gravação do Ano, também não levou Grammy para casa (não nas principais categorias). 

Dando continuidade ao seu legado na cultura pop, Lady Gaga lançou seu trabalho mais bem avaliado pela crítica especializada até o seu ano de lançamento, e garantiu mais uma indicação à categoria de Álbum do Ano com o The Fame Monster que mais uma vez não rendeu a ela tamanha honraria. O feito se repetiu com o controvérso e necessário Born This Way que no ano que concorria ao Grammy gerou revolta pela perda nas três categorias que foi indicado: Álbum do Ano, Melhor Álbum Pop Vocal e Melhor Performance Pop Solo por Yoü and I.

LEIA TAMBÉM: REVIEW: NASCE UMA ESTRELA E A DEFINIÇÃO DE CLÁSSICO INSTANTÂNEO.

Depois do Born This Way, a Lady Gaga passou por três eras mornas, e apenas em 2018 ela voltou definitivamente ao centro das atenções, mas agora com uma imagem mais limpa e mais adepta aos padrões: nos três últimos álbuns - Cheek to Cheek (2014), Joanne (2016) e A Star is Born (2018) -, Gaga assume uma nova roupagem, menos bizarra e conquista um público mais crítico com o lema menos é mais - longe de polêmicas. Nos três últimos álbuns, Gaga fez questão de enfatizar as suas habilidades compositoras e a sua potência vocal, transitou por gêneros mais tradicionais como o Jazz e o Country e desde então ela tem obtido o apoio e o reconhecimento significativos para a soma dos votos pela bancada do Grammy.


PRINCIPAIS FEITOS DA LADY GAGA COM O A STAR IS BORN (SOUNDTRACK):
 


  • #1 na Billboard 200;
  • #1 na Billboard 100 com Shallow;
  • 45 semanas dentro da Billboard 100 com Shallow;
  • Um ano charteando na Billboard 200;
  • 1 Oscar com Shallow;
  • 2 Grammys com Shallow;
  • 1 Globo de Ouro com Shallow;
  • 1 BAFTA com Shallow;
  • 1 Critic Choice com Shallow; 
  • 1 Satellite Awards com Shallow;
  • 1 MTV Movie & TV Awards com Shallow;
  • 1 Academy of Country Music pela trilha sonora de Nasce Uma Estrela;
  • 1 entrada no Guinness Book pela indicação de Shallow ao Oscar;
  • Shallow é a música mais premiada da história da música com +50 prêmios obtidos (até o momento);
  • 6 milhões de cópias comercializadas da trilha sonora de Nasce Uma Estrela; 
  • +2 bilhões de reproduções no Spotify;
  • Shallow é a música feminina a passar mais tempo dentro do top 50 do Spotify Global; 
  • Nota 78 no Metacritic;

Com o A Star is Born, a Lady Gaga consegue o seu segundo auge na carreira, e com aclamação da crítica e do público, as chances dela conseguir um Grammy na principal categoria da premiação são maiores do que nunca. Lady Gaga já tem 9 Grammys em 11 anos de carreira, e aposto que na próxima edição da premiação ela deva levar mais alguns para casa. Além da categoria principal, as minhas apostas também vão para que Always Remember Us This Way vença nas categorias Melhor Performance Pop Solo e Melhor Canção Escrita Para Mídia Visual, I'll Never Love Again na categoria Melhor Performance Pop Duo/Grupo e a trilha sonora na categoria Melhor Trilha Sonora. Os indicados ao Grammy 2020 são divulgados no dia 20 de novembro de 2019.

Minhas Redes Sociais: 

Comentários

Postagens mais visitadas