Pular para o conteúdo principal

Destaques

Future Nostalgia: O TOPO DA ASCENSÃO DA DUA LIPA?

Autor: Luca Alves Future Nostalgia: O TOPO DA ASCENSÃO DA DUA LIPA? Nota: 4/5


É de tamanha excelência a qualidade do Future Nostalgia que foi uma das missões mais difíceis da minha vida expressar em fiéis palavras a extremidade artística positiva que este álbum representa. Estive tenso por tentar não deixar passar nada porque é de uma complexidade e inteligência lírica-compositora tão grande que eu estaria faltando com a honestidade se eu não deixasse muito claro que este álbum é simplesmente O ÁLBUM. E é lindo ver o mínimo, porém impactante amadurecimento da Dua Lipa depois do álbum homônimo porque a ela foi entregue o difícil papel de salvadora da música pop, quando em meados de 2017 ela tomou total protagonismo do gênero com New Rules sendo creditada como um dos pilares que representaria a música pop pelos próximos anos, e facilmente assumiu esse posto, não aproveitando muita coisa do tropical house em dominância no seu primeiro álbum, mas mantendo as composições maduras por um vié…

O QUE É MÚSICA? (R. MURRAY SCHAFER)

R. Murray Schafer
R. Murray Schafer


O QUE É MÚSICA? (R. MURRAY SCHAFER)


Autor: Luca Alves

Definir música é tão difícil quanto definir qualquer outra arte - podendo haver diferença em pequenos níveis de dificuldade, mas nada que distancie uma dificuldade da outra (risos). Uma vez eu tentei definir literatura e foi uma das coisas mais embaraçosas que eu já fiz em toda minha vida. Acredito que as definições tomam proporções mais difíceis na medida em que as artes ficam mais abstratas. E, de modo geral, é tudo muito complexo e subjetivo para mim.

Uma vez, em minhas leituras (por hobby), encontrei a definição de música para R. Murray Schafer no livro O Ouvido Pensante de 1983. Na obra em questão, o autor, que é compositor e artista plástico, fala sobre duas oportunidades que teve de ser professor de música nos anos de 1964 e 1965 no e para o North York Summer Music School. Suas experiências estão descritas em forma de conversação com seus alunos no livro O Ouvido Pensante de 1983 e suas definições de música começam na página 13 do primeiro capítulo pela edição de 1991 publicada pela Editora Unesp: 
Para Schafer (1991), todo e qualquer som pode ser música contanto que esteja organizado e que tenha intenção de ser música. Quando eu li essa definição, o álbum Reputation da Taylor Swift tinha acabado de ser lançado e eu estava preso a ele por um botão de replay. O álbum é sobre a má reputação da Taylor criada pela mídia e pelos seus inimigos da industria do entretenimento (leia-se Kanye West, Kim Kardashian, Katy Perry e Calvin Harris). Na terceira música do Reputation, que se chama I Did Something Bad, a Taylor compara a situação com o fenômeno da caça às bruxas comum entre os séculos XV e XVIII. Na ficção, apenas a bala de prata pode matar as bruxas, e, como referência a isso, a Taylor Swift usa o som de alguns disparos para efeito sonoro na música.

Nas aulas de Schafer para o North York Summer Music School, ele usa o conceito de paisagem sonora (assunto para outra postagem) na condição de aliada do compositor na hora da composição. Na sala de aula para a turma de 1964 ele levanta algumas reflexões para chegar ao conceito de música e fazer com que ele seja entendido - algo semelhante com o que estou fazendo aqui: Voltando ao exemplo da música da Taylor Swift, em um extermínio de bruxas, muitos disparos são feitos, mas eles não são música. Em I Did Something Bad, os disparos são música. Por quê? No primeiro caso, os sons foram involuntários e sem intenção de fazer música. Mesmo que no primeiro caso os atiradores incidentalmente façam com que o som que vem das armas de fogo soem em um ritmo, eles não serão música, pois os atiradores não tiveram a intenção de que os disparos fossem ouvidos como música. No entanto, em I Did Something sim - tanto foram organizados de forma que combinassem com a música como foram feitos para serem ouvidos como música. O conceito de música extraído do livro O Ouvido Pensante de  R. Murray Schafer é: "Música é uma organização de sons (ritmo, melodia etc) com intenção de ser ouvida".



Minhas Redes Sociais: 

Comentários

Postagens mais visitadas