Pular para o conteúdo principal

Destaques

Future Nostalgia: O TOPO DA ASCENSÃO DA DUA LIPA?

Autor: Luca Alves Future Nostalgia: O TOPO DA ASCENSÃO DA DUA LIPA? Nota: 4/5


É de tamanha excelência a qualidade do Future Nostalgia que foi uma das missões mais difíceis da minha vida expressar em fiéis palavras a extremidade artística positiva que este álbum representa. Estive tenso por tentar não deixar passar nada porque é de uma complexidade e inteligência lírica-compositora tão grande que eu estaria faltando com a honestidade se eu não deixasse muito claro que este álbum é simplesmente O ÁLBUM. E é lindo ver o mínimo, porém impactante amadurecimento da Dua Lipa depois do álbum homônimo porque a ela foi entregue o difícil papel de salvadora da música pop, quando em meados de 2017 ela tomou total protagonismo do gênero com New Rules sendo creditada como um dos pilares que representaria a música pop pelos próximos anos, e facilmente assumiu esse posto, não aproveitando muita coisa do tropical house em dominância no seu primeiro álbum, mas mantendo as composições maduras por um vié…

Referências No Clipe This Is America de Childish Gambino

This Is America Childish Gambino
This Is America, 2018, Childish Gambino
Autor: Luca Alves

Referências no clipe This Is America de Childish Gambino


Donald Glover (Childish Gambino) lançou há quatro dias o vídeo para a música This Is America em seu canal do Youtube. É uma obra prima contendo diversas referências e críticas à violência policial, ao porte de armas, aos esterótipos criados em volta da população negra e ao descaso com assuntos tão sérios como esses. Suas inspirações para o clipe são diversas e englobam desde casos famosos de assassinatos, curiosidades e fatos históricos, até David Bowie, como forma de "releitura" de alguns de seus trabalhos sobre o tema ou temas afins, como pode ser visto no vídeo do canal Antídoto.

Logo no início do vídeo clipe, uma representação do pai de Trayvor Martin está sentada na cadeira enquanto toca um violão que também serve como personificação da contribuição das raízes da música norte-americana e gêneros tidos como genuinamente norte-americanos como o jazz, o blues, o rock, o pop. Trayvor Martin foi um jovem assassinado em 2012 por um vigia nos Estados Unidos. No álbum Joanne, Lady Gaga fez uma música dedicada a ele e ao tema brutalidade policial para com a população negra. A faixa se chama Angel Down. Ainda no início do vídeo, ao matar o homem sentado na cadeira e com o rosto coberto, Gambino imita a pose de Jim Crow, a origem do blackface, persona criada por Thomas D. Rice.

LEIA TAMBÉM: REFERÊNCIAS ARTÍSTICAS NA CAPA DO ÁLBUM ARTPOP DA LADY GAGA

Em seguida, Gambino dança com um grupo de estudantes enquanto o caos acontece ao fundo. A dança, como escreveu Aline Ramos para o Buzzfeed, é sul-africana chamada Gwara Gwara e remete ao massacre de Soweto na África do Sul. Em 1976, estudantes sul-africanos protestavam contra o sistema de educação quando mais de 20 alunos foram mortos pela polícia. Além disso, os internautas acreditam que a dança representa uma distração midiática para o que realmente está acontecendo na América (ou nas Américas, visto que muito do que acontece no clipe cabe ao cenário brasileiro e ao de outros países da América Latina).

LEIA TAMBÉM: CRÍTICAS POR DETRÁS DE CHAINED TO THE RHYTHM DA KATY PERRY

No Facebook, Bruna Martins escreve sobre outras mortes e assassinatos mencionados no clipe de Gambino, como o massacre na igreja Charleston, em 2015, quando Gambino mata o coral assim que sai do estacionamento, o caso de Philando Castile quando no fim do clipe Gambino dança em cima de um carro com farol quebrado, o caso de Stephon Clark quando os jovens assistem ao caos sentados e filmando sem fazer nada, e a crescente taxa de suicídio de homens brancos após a morte de Robin Williams ou os suicídios dos negros africanos que eram arrastados da África para as Américas na condição de escravos quando o jovem de branco se mata enquanto Gambino e os estudantes dançam. Outro detalhe sobre os assassinatos: Gambino entrega as armas sempre com muito cuidado representando a falsa sensação pacificadora que as armas de fogo trazem.

Nas últimas cenas do vídeo, Childish Gambino dança em cima de um carro enquanto o mesmo homem do início do clipe toca um violão como quem diz que após tudo o que tem acontecido, as mesmas histórias se repetem, os carros são velhos como uma forma de dizer que as histórias se repetem há muito tempo e a SZA aparece em uma das últimas cenas representando as mulheres negras no meio disso tudo. Não se esqueçam delas. Gambino agora foge da polícia no estacionamento com baixa iluminação e isso pode significar tanto casos atuais de perseguição e violência com a população negra como também pode significar os escravos negros que uma vez fugidos viviam perseguidos e na mira da violência.

Minhas Redes Sociais:

Comentários

Postagens mais visitadas