Pular para o conteúdo principal

Destaques

A doce suspresa de Ameaça Profunda

Autor: Daniel Moreira
A doce surpresa de Ameaça Profunda
Geralmente é em janeiro que os estúdios lançam aqueles filmes que eles não sabem onde colocar. É uma época de férias, a vibe mais família do Natal e Ano Novo já passou  e o dia dos namorados só acontece em fevereiro (nos EUA), então são algumas semanas sem nada de muito acontecimento, apesar de que isso vem mudando aos poucos já que as janelas para grandes lançamentos estão ficando cada vez mais apertadas devido a enorme quantidade de blockbusters. 
Surge então uma doce surpresa: Ameaça Profunda é um filme dirigido por William Eubank e tem como protagonistas a Kristen Stewart, Jessica Henwick, T J Miller e Vincent Cassel. Conta a história de um grupo de pesquisadores que lutam para sobreviver depois que um terremoto causa destruição em um laboratório subaquático e eles precisam chegar na superfície, além disso, é preciso enfrentar estranhas criaturas das profundezas

O filme tem um orçamento considerável para um longa de ficção …

Romantismo: Ufanismo Nacionalista

rio de janeiro jean baptiste
Rio de Janeiro, Jean-Baptiste

Romantismo: Ufanismo Nacionalista


As mudanças sociais em consequência da Revolução Francesa vieram em forma de liberdade - política, estética, econômica. O romantismo, como escola literária, se mostrou revolucionário ao seguir seus instintos, adotando a rebeldia, a liberdade e, por conseguinte, a melancolia como principais características do período. 

A ruptura dos padrões clássicos e neoclássicos possibilitara ao mundo um novo olhar: com o eu em ascensão, o meu entraria finalmente na mira da arte. E eis que surge então o ufanismo nacionalista sintetizando a primeira geração romântica - que muito contribuiu para a consolidação do liberalismo. 

O significado de ufanismo é "atitude de quem se orgulha de alguma coisa com exagero". No Brasil o ufanismo nacionalista chegou definitivamente com a Independência, em 1822, mas desde antes a chegada da Família Real, em 1808, (evento que tem uma contribuição significativa para a Independência) já era possível encontrar indícios de um provável grande manifesto nacionalista por conta da insatisfação dos brasileiros para com a Coroa Portuguesa. Mas foi enfim independentes que os artistas da época encontraram em si, e não no outro, o combustível para sua arte. E então que o nacionalismo assume o papel inspirador para os artistas da primeira geração do romantismo.

Leia também: Romantismo: Teatro, Literatura e Escravidão

Se visto do século XIX, o passado brasileiro se resume basicamente em exploração, tanto dos indígenas, quanto das riquezas naturais. Por ser o mais nato dos brasileiros, o índio passa a ser o herói nacional (em prosas histórica-indianistas), enquanto que a fauna e flora são os orgulhos dos românticos que aqui viveram (SANTOS, 2014).

Além da prosa histórica e a prosa indianista, como uma espécie de vertente do ufanismo nacionalista, a prosa regionalista também tem seu papel nessa geração. A prosa regionalista, que consistia em dar destaque aos costumes locais, reflete o orgulho dos brasileiros por sua terra. Iracema, de José de Alencar, consegue reunir algumas das características da primeira geração romântica (ufanista nacionalista e histórica-indianista).

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

Santos, Renato Alessandro dos. Literatura portuguesa e brasileira III / Renato Alessandro dos Santos – Batatais, SP : Claretiano, 2014.
Minhas Redes Sociais: 

Comentários

Postagens mais visitadas