Pular para o conteúdo principal

Destaques

Review Aves de Rapina - O Filme da Arlequina

Autor: Daniel Moreira
Review Aves de Rapina - O Filme da Arlequina

Quando se trata dos filmes da DC sempre ficamos com um pé atrás. Às vezes a gente tem boas surpresas, mas quando olhamos o histórico de lançamentos, a empresa sempre deixa a desejar. No entanto, é a DC que sempre ganha prêmios importantes e levanta discussões calorosas sobre assuntos relevantes, tudo isso devido a experimentação. 
Aves de Rapina e a Emancipação Fantabulosa de uma Arlequina conta a história de como a doutora Quinzel se tornou a protagonista de sua história. Depois de terminar um relacionamento extremamente abusivo com o Coringa, ela se vê desamparada e sem ter um propósito. Agora sem a proteção de ser a companheira do palhaço mais famoso de Gotham, vários vilões querem acertar as contas com ela.  A Margot Robbie que também é produtora do filme nasceu para esse papel, ela traz uma leveza, uma inocência e uma maldade pra personagem única. Nessa história a gente pode acompanhar melhor como é um dia na vid…

Sobre viver com baixa autoestima

Imagem: Unkown

Sobreviver com baixa autoestima:

Por mais que eu me esforce, nunca estou bem comigo mesmo. Carrego em mim a obrigação de fazer os outros bem, mesmo que isso me custe não ficar bem. É desgastante ter que provar o tempo todo o quão bom eu sou, e sempre perder nos meus constantes jogos comparativos. Estou cansado de levar a vida que eu levo, mas por mais que eu tente, não consigo mudá-la.

Ademais, o estereótipo de insatisfação estética pode ser verdadeiro. Quero dizer, no meu caso é, mas não posso falar por todos. Tenho um histórico de imperfeições e por ele cheguei a acreditar que a cura para os meus problemas estava a sete palmos do chão. Não me orgulho disso, mas é involuntário. Me vejo com os olhos que acredito que o mundo me vê, e com os olhos que agora eu também vejo o mundo. 

São olhos escuros. E eu que tanto temia a escuridão, já não a considero o maior dos problemas. São imensos em diferentes intensidades. São diversos em suas singularidades. São complexos e não busco mais entendê-los. Perdi o controle desde a chegada da ansiedade, 

do perfeccionismo, 

das crises de pânico,

...

Não está sendo fácil.
Minhas Redes Sociais: 



Comentários

  1. Gostei do texto! Bem realista.
    Mas levanta essa cabeça e segue em frente!
    Te amo demais♡

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas