Pular para o conteúdo principal

Destaques

REVIEW: MULHER MARAVILHA 1984

Pôster do Filme Autor: Daniel Moreira   REVIEW: MULHER MARAVILHA 1984  Estamos vivendo uma revolução na forma de ver filmes, os serviços de streaming estão cada vez mais conquistando o seu espaço no dia-a-dia dos espectadores e a grande aposta do HBOMAX foi justamente a estreia de um dos maiores filmes do ano no serviço de streaming e nos cinemas ao mesmo tempo. Se isso vai ser o novo normal ou se vai trazer lucros só o tempo dirá, o fato é que Mulher Maravilha 1984 está entre nós. Atenção, essa review pode conter leves spoilers. Um artefato muito antigo criado por um Deus concede aquele que o possui o seu maior desejo, infelizmente vai parar em mãos erradas e a Mulher Maravilha precisa enfrentar o vilão e impedir o fim do mundo. Patty Jankins retorna na direção da sequência, dessa vez muito mais a vontade. Devido ao grande sucesso do primeiro filme, o estúdio deu carta branca pra ela criar a sua versão e isso é refletido nas poucas cenas de ação, nos diálogos profundos e na mensa

Sobre viver com baixa autoestima

Imagem: Unkown

Sobreviver com baixa autoestima:

Por mais que eu me esforce, nunca estou bem comigo mesmo. Carrego em mim a obrigação de fazer os outros bem, mesmo que isso me custe não ficar bem. É desgastante ter que provar o tempo todo o quão bom eu sou, e sempre perder nos meus constantes jogos comparativos. Estou cansado de levar a vida que eu levo, mas por mais que eu tente, não consigo mudá-la.

Ademais, o estereótipo de insatisfação estética pode ser verdadeiro. Quero dizer, no meu caso é, mas não posso falar por todos. Tenho um histórico de imperfeições e por ele cheguei a acreditar que a cura para os meus problemas estava a sete palmos do chão. Não me orgulho disso, mas é involuntário. Me vejo com os olhos que acredito que o mundo me vê, e com os olhos que agora eu também vejo o mundo. 

São olhos escuros. E eu que tanto temia a escuridão, já não a considero o maior dos problemas. São imensos em diferentes intensidades. São diversos em suas singularidades. São complexos e não busco mais entendê-los. Perdi o controle desde a chegada da ansiedade, 

do perfeccionismo, 

das crises de pânico,

...

Não está sendo fácil.
Minhas Redes Sociais: 



Comentários

  1. Gostei do texto! Bem realista.
    Mas levanta essa cabeça e segue em frente!
    Te amo demais♡

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas