Pular para o conteúdo principal

Destaques

GRAMMY: POR QUE A LADY GAGA MERECE LEVAR O PRÊMIO DE ÁLBUM DO ANO?

Autor: Luca Alves GRAMMY: POR QUE A LADY GAGA MERECE LEVAR O PRÊMIO DE ÁLBUM DO ANO?
Há um ano debutava no topo da parada de discos da Billboard o A Star is Born com 231 mil cópias comercializadas no território americano. Pouco mais de um ano desde o seu lançamento, a trilha sonora do Nasce Uma Estrela soma mais de 6 milhões de cópias comercializadas ao redor do mundo e mantém uma estabilidade que talvez supere fácil a marca de 8 milhões de cópias vendidas até o dia da cerimônia do Grammy, que geralmente acontece entre o fim de janeiro e o início de fevereiro. 
Essa não é a primeira vez que a Lady Gaga recebe grande atenção para a principal categoria do Grammy. Quase todos os álbuns da Gaga foram indicados à categoria Álbum do Ano, e todos até o momento não foram bem-sucedidos para os votos da Academia. Em 2008, a Lady Gaga fez uma estréia estrondosa causando impactos notórios à cultura pop com o The Fame, mas só isso não foi o suficiente para a bancada honrar o álbum com o título de …

Sobre viver com baixa autoestima

Imagem: Unkown

Sobreviver com baixa autoestima:

Por mais que eu me esforce, nunca estou bem comigo mesmo. Carrego em mim a obrigação de fazer os outros bem, mesmo que isso me custe não ficar bem. É desgastante ter que provar o tempo todo o quão bom eu sou, e sempre perder nos meus constantes jogos comparativos. Estou cansado de levar a vida que eu levo, mas por mais que eu tente, não consigo mudá-la.

Ademais, o estereótipo de insatisfação estética pode ser verdadeiro. Quero dizer, no meu caso é, mas não posso falar por todos. Tenho um histórico de imperfeições e por ele cheguei a acreditar que a cura para os meus problemas estava a sete palmos do chão. Não me orgulho disso, mas é involuntário. Me vejo com os olhos que acredito que o mundo me vê, e com os olhos que agora eu também vejo o mundo. 

São olhos escuros. E eu que tanto temia a escuridão, já não a considero o maior dos problemas. São imensos em diferentes intensidades. São diversos em suas singularidades. São complexos e não busco mais entendê-los. Perdi o controle desde a chegada da ansiedade, 

do perfeccionismo, 

das crises de pânico,

...

Não está sendo fácil.
Minhas Redes Sociais: 



Comentários

  1. Gostei do texto! Bem realista.
    Mas levanta essa cabeça e segue em frente!
    Te amo demais♡

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas