Pular para o conteúdo principal

Destaques

GRAMMY: POR QUE A LADY GAGA MERECE LEVAR O PRÊMIO DE ÁLBUM DO ANO?

Autor: Luca Alves GRAMMY: POR QUE A LADY GAGA MERECE LEVAR O PRÊMIO DE ÁLBUM DO ANO?
Há um ano debutava no topo da parada de discos da Billboard o A Star is Born com 231 mil cópias comercializadas no território americano. Pouco mais de um ano desde o seu lançamento, a trilha sonora do Nasce Uma Estrela soma mais de 6 milhões de cópias comercializadas ao redor do mundo e mantém uma estabilidade que talvez supere fácil a marca de 8 milhões de cópias vendidas até o dia da cerimônia do Grammy, que geralmente acontece entre o fim de janeiro e o início de fevereiro. 
Essa não é a primeira vez que a Lady Gaga recebe grande atenção para a principal categoria do Grammy. Quase todos os álbuns da Gaga foram indicados à categoria Álbum do Ano, e todos até o momento não foram bem-sucedidos para os votos da Academia. Em 2008, a Lady Gaga fez uma estréia estrondosa causando impactos notórios à cultura pop com o The Fame, mas só isso não foi o suficiente para a bancada honrar o álbum com o título de …

O QUE SÃO PERSONAGENS-TIPOS?

Henrietta Harris
Imagem: Henrietta Harris

O que são personagens-tipos?


Ainda outro dia, falei sobre alegoria e personagens alegóricos na postagem "Personagens Alegóricos: o que são?". Dando continuidade ao assunto, falarei sobre outros personagens que, assim como os alegóricos, podem ser encontrados tanto em Auto da Barca do Inferno quanto em Auto da Compadecida: os personagens-tipos. 

Para poupar rodeios e repetições, vou partir da explicação sobre personagens alegóricos para elucidar a ideia de personagens-tipos, então, sugiro que leia a outra postagem antes der ler essa para facilitar o raciocínio e não te deixar perdido ou parecer que você já pegou o bonde andando, tá? 

Mais uma vez, não é difícil entender os personagens-tipos. Se os alegóricos são a representação concreta de uma ideia abstrata (bem, mal e corrupção, que foram os exemplos dados), os tipos são a representação de um grupo ou classe social, cujo reconhecimento é feito a partir de características estereotipadas, como a linguagem, por exemplo. 

E assim como os personagens alegóricos, os personagens-tipos, mesmo que apresentem informações precisas, como nome, endereço, idade etc, eles também não têm intenção de atingir uma pessoa em específico, logo, Brísida Vaz, a alcoviteira, não existe e nunca existiu, seu papel na obra foi apenas representar os alcoviteiros. 

Minhas Redes Sociais:

Comentários

Postagens mais visitadas