Pular para o conteúdo principal

Destaques

Review Aves de Rapina - O Filme da Arlequina

Autor: Daniel Moreira
Review Aves de Rapina - O Filme da Arlequina

Quando se trata dos filmes da DC sempre ficamos com um pé atrás. Às vezes a gente tem boas surpresas, mas quando olhamos o histórico de lançamentos, a empresa sempre deixa a desejar. No entanto, é a DC que sempre ganha prêmios importantes e levanta discussões calorosas sobre assuntos relevantes, tudo isso devido a experimentação. 
Aves de Rapina e a Emancipação Fantabulosa de uma Arlequina conta a história de como a doutora Quinzel se tornou a protagonista de sua história. Depois de terminar um relacionamento extremamente abusivo com o Coringa, ela se vê desamparada e sem ter um propósito. Agora sem a proteção de ser a companheira do palhaço mais famoso de Gotham, vários vilões querem acertar as contas com ela.  A Margot Robbie que também é produtora do filme nasceu para esse papel, ela traz uma leveza, uma inocência e uma maldade pra personagem única. Nessa história a gente pode acompanhar melhor como é um dia na vid…

Manga por Malu Reining

Imagem: ???

O sol refletia em meus cabelos e os deixavam com um fundo ruivo, os fios desgrenhados corriam por minhas bochechas e eu ria. Sorria para ele, para os carros que passavam e para o céu quando cobria o sol com suas nuvens. Falei bobagem, debati causas sociais e tomei sorvete naquele lugar que cisma que sorvete de morango é gostoso, céus, é péssimo. Te olhei de soslaio e ri quando você percebeu, ofereci meu sorvete três, quatro, sete vezes até você tomar da minha mão e tomá-lo. Tudo estava se encaixando e tudo estava tão simples. Eu não sinto vontade de complicar e aparentemente a vida está me dando uma brecha para ter paz. E eu estou sorrindo. Sorrindo pelas amizades que tenho, pela borracha do Darth Vader que compramos  e pelo sorvete de leite da Parmalat. É tudo tão simples. Desde os olhares até as provocações gratuitas. Sentimentos são simples e escrever sobre o que te faz bem é simples, passa tranquilidade. E, nesta tarde ensolarada no centro de uma metrópole barulhenta e caótica, eu tive paz e sorri para a vida. E para ele.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas