Pular para o conteúdo principal

Destaques

REVIEW: LOVE, VICTOR - 1ª Temporada

Autor: Daniel Moreira
REVIEW LOVE, VICTOR - 1ª Temporada
Love, Victor é uma série original da Hulu (antigamente feita para o Disney+) que conta a história de Victor, um garoto que se mudou para Atlanta e é o mais novo aluno da Creekwood High School, onde vive uma jornada de adaptação e autodescoberta. A série que é uma sequência direta do filme de 2018 Com Amor, Simon, conta com participações especiais dos atores do filme além de ser referenciada em vários momentos, você não precisa assistir ao filme para entender a série, mas com toda certeza faz você ter uma experiência mais intimista.
LEIA TAMBÉM: REVIEW COM AMOR, SIMON
Todo o elenco da série foi muito bem escolhido e são peças chaves para contar uma história importante. Michael Cimino é um protagonista muito carismático que interpreta a jornada de autodescoberta com muita sensibilidade. Só quem é gay e tem uma família difícil de lidar, geralmente religiosa, sabe o quão longo e complexo é o processo de não querer gostar de homens a…

Chuck

Chuck

Chuck. Imagem: divulgação

Eu detesto séries longas. Chuck tem cinco temporadas, e isso para mim já é demais. Eu sei lá. Quando a história dura, eu sempre me apego ao elenco e lá pro fim eu fico meio "eita, e agora?". Tentei assistir a Chuck o mais rápido que pude para não sofrer desse mal, porém não adiantou muito. Escrevi essa crítica minutos após o último episódio e ainda posso sentir um nó na minha garganta. 

Ela não é uma série boa, porém não é ruim. A princípio, eu não estava muito animado para assistir a ela. Detestei mais ainda depois de ter visto o primeiro episódio e passei a me acostumar com o tempo. Gastei um mês para terminá-la, e a classifico como uma serie mediana: nem demais, nem de menos. Não é a série que marcará de alguma forma a sua vida.

Expulso da faculdade, com um emprego medíocre no Compre Mais e com um belo par de chifres (isso não foi uma piada), Charles Bartowski (Zachary Levi) vive na região de Burbank e um rebuliço após receber um e-mail de Bryce Larkin (Matt Bomer), o responsável pela sua expulsão de Standford, e pelos seus chifres, bacana, né? Nele continha dados importantes para a CIA, a qual em poucas horas chega até ele em busca do intersetorial "extraviado". Mas aí que tá. Depois que Chuck visualizou o anexo no seu e-mail, não tinha muito a ser feito, restando apenas sua supermemória, fazendo dele o próprio intersetorial. Sua função? Decodificar imagens aleatórias - através dos chamados lampejos - até que um outro mecanismo fosse construído.

Eu achei o roteiro bem organizado, mostrando no presente o futuro do passado de Chuck, assim deixando algumas coisas claras, já que essa introdução da série não faz muito sentido, né?

Uma coisa impressionante sobre a série é o elenco. Dei uma lida sobre ele e me surpreendi com algumas curiosidades. Por exemplo, essa é a primeira série do Zachary Levi e a primeira da Yvonne Strzechowski na América. Esta mulher é maravilhosa, gente! Vik Sahay e Scott Krinsky sabem deixar qualquer um p. da vida com tamanha lerdeza. E, sem desmerecer aos outros, quero dar destaque também a Sarah Lancaster, Adam Baldwin e Joshua Gomez porque eles merecem.

Leia também: Séries Policiais: Orange Is The New Black e Prison Break

Comentários

Postagens mais visitadas